quarta-feira, 31 de julho de 2013

Risoto Italiano de Cogumelos Secos fechando o semestre

Mais um mês que vai fechar com 12 receitas!
Hoje, quando olho para a trajetória (ainda curta) do blog vejo quanta coisa foi acontecendo nestes seis meses, paralelamente ao fogão. E isso de estar mantendo um padrão de produção mensal me surpreende porque disciplina e organização nunca foram minhas características e fico me questionando se eu estou realmente mudando ou se o blog sou eu num mundo paralelo...
Por outro lado, o que tenho percebido é que, assim como no filme Waitress, cada vez que alguma coisa 'da vida real' me incomoda durante o dia, a primeira coisa que vem na minha cabeça é o que fazer pro jantar. A cozinha, cada vez mais, virou uma ocupação que me esteriliza dos pesos que vão se acumulando durante o dia.
E essa reflexão toda não é gratuita. O prato de hoje sempre esteve naquela lista 'esse-eu-não-sei-fazer' e em determinado momento se transformou em uma expectativa (ou seria esperança?). E por mais que adore risoto e todos os tipos de cogumelos, sequer me ensaiei a fazê-lo porque projetei no prato que um dia me foi prometido a página virada de vez, o que no final ficou em Nárnia, mas ok. Pior: cada vez que eu comentava 'esse-eu-não-sei-fazer', recebia novas propostas e o clássico 'vou fazer pra ti' era ouvido e repetido por pelo menos uns 5 anos em episódios dos mais diversos!
E os funghis sempre lá em casa, normalmente virando molho. Ótimos, mas a expectativa daquele bendito risoto e do clímax da comédia romântica continuavam lá. Mesmo quando não estavam mais, pra quê encher de realidade e dar uma cara e um sabor pro que a mente já tinha feito na perfeição?!?!
Então... o dia em que abri o livro e decidi que este seria o prato da janta só podia trazer junto impressões muito além das panelas. O que é uma delícia de prato? Como diz uma amiga minha, vinho bom é aquele que se toma em boa companhia.
Dá pra medir a qualidade do prato pela quantidade de sal ou a nobreza dos ingredientes? Fácil é um prato que leva menos de 20 minutos pra ficar pronto?
É... esta talvez tenha sido a minha receita mais difícil: encerrar as fantasias e encarar a vida real depois que sobem os créditos com zero de glamour. Para isso, precisei de umas várias taças de vinho, duas pós graduações, uns meses (uns 70 talvez...) de digestão, amigas (tks Lord!) e de:
20 gramas de cogumelos secos
2 xícaras de arroz arbóreo
4 colheres de manteiga
2 colheres de cebola picada
vinho branco seco (usei Chardonay)
1 litro de caldo de carne
50 gramas de parmesão ralado
sal
Como fazer:
Comece colocando uma boa música pra acompanhar a primeira taça de vinho. Depois, lave bem os cogumelos e coloque-os de molho por 30 minutos em uma xícara de água fervente. Escorra, reserve o líquido e pique os cogumelos;
Coloque metade da manteiga e a cebola em uma panela larga e pesada, pra poder ficar com uma mão livre pra ir pegando os ingredientes, dançando, servindo mais vinho... Leve ao fogo e refogue até que a cebola esteja transparente. Coloque o arroz e misture bem para envolver todos os grãos na manteiga. Acrescente os cogumelos picados e refogue por mais um minuto.
Regue com meia xícara de vinho branco e deixe absorver.
Sirva-se de mais uma taça e dance!!!!
Acrescente a água reservada dos cogumelos e vá regando com o caldo concha a concha misturando constantemente até o arroz estar al dente (de 15 a 20 minutos). Tempere com um pouco de sal.
Apague o fogo e acrescente o parmesão e a manteiga restante e misture bem. Tampe a panela e deixe descansar por mais 5 minutos antes de servir.

Como ficou? Com sabor de realidade, ora!

3 comentários:

  1. Uhhhh, gostei... acho mesmo que os Blogs são uma forma da gente fugir do mundo real!

    ResponderExcluir
  2. Esta maneira de começar uma receita é ótima:
    "Comece colocando uma boa música pra acompanhar a primeira taça de vinho. Depois, lave bem

    ResponderExcluir
  3. Não tem erro! Funciona sempre!!

    ResponderExcluir