terça-feira, 8 de outubro de 2013

Ser fiel e ser leal

Setembro foi um mês realmente pouco produtivo na cozinha. Fiquei fora de casa em três finais de semana e bastante frustrada com as tentativas de cozinhar carne vermelha.
Também descobri que vou ser tia - ÊÊÊÊÊÊ!!! Em vez de temperos, só gastei meu rico dindim em tip-top, cobertas e todas as fofurices do mundo!!!
E acho que me apaixonei.
Chegando em casa hoje, no meio do tumulto (que nem vale a pena registrar), resolvi fazer uma jantinha com o que tinha em casa e saiu um Conchiglione de palmito com amêndoas e molho de laranja. Assim, como quem frita um ovo, uma das melhores coisas que já fiz e que me leva a ter certeza de que não adianta forçar, a vida só flui quando somos leais a nós mesmos. Deixei de ser fiel ao livro, pra respeitar minha natureza: é na massa que me encontro!
Vamos à receita:
Recheio: bati duas colheres de queijo quarke com umas 15 amêndoas e 4 colheres de palmito picado.
Molho: uma redução de suco de uma laranja, acrescentando aos poucos 500 ml do caldo em que a massa foi cozida, com um cubo de caldo de legumes diluído. Temperei com um fio de shoyo e meia taça de vinho branco. Textura acertada, desligo o fogo e acrescento uma colher de manteiga.
Cozinhei o Conchiglione (12 unidades) como manda a embalagem e recheei. Coloquei no refratário com um fio de azeite e joguei o molho por cima. Uns 10 minutos no forno médio coberto com papel laminado e mais 5 no forno desligado sem o laminado.
Alma refeita e coração tranquilo.
Uma taça de vinho e a certeza de que posso aprender muitas coisas, mas isso é quem eu sou!
 

2 comentários:

  1. Uhhhh, interessante!!
    Não esquece de postar a receita do risoto de filé e de aspargo.... preciso delas! hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a gente não anotou?!?! aiaiaiaiaiai

      Excluir